Blogue da Escola Secundária de Amora. Espaço de partilha de iniciativas desenvolvidas pelos alunos, no âmbito das disciplinas de Cidadania e Desenvolvimento e Cidadania e Arte ou de atividades com elas relacionadas. A Educação para a Cidadania procura explicitar, no contexto do viver coletivo, a relação íntima entre Conhecimentos e Valores, visando uma participação Cívica cada vez mais ativa, esclarecida e responsável.

50A25A - O nosso desenvolvimento: antes e pós 25 de Abril

22 de março. Apresentação, no auditório, das conclusões do projeto realizado pela turma do 12.º C, no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, sobre o antes e pós 25 de Abril, no que diz respeito a diferentes domínios da sociedade portuguesa, nomeadamente: educação, economia e política. 

Esta apresentação contou com a participação de três turmas convidadas que, com os colegas do 12.º C, debateram e questionaram várias das conclusões partilhadas.

50A25A - Palestra CPCJ – Os Direitos e a Proteção das Crianças, Antes e Depois do 25 de Abril

22 de março. Palestra com a CPCJ - Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens. Tema: Os Direitos e a Proteção das Crianças, Antes e Depois do 25 de Abril. Iniciativa da turma do 9.º B, no âmbito do projeto que estão a desenvolver em Cidadania e Desenvolvimento.
Os nossos alunos começaram por explicar o objetivo da palestra e por apresentar globalmente as funções sociais desta instituição.
Neste momento, as técnicas da CPCJ partilham com as turmas presentes o trabalho que desenvolvem em prol da proteção de crianças e jovens, dando vários exemplos reais e deixando conselhos de comportamentos preventivos que podem evitar situações perigosas.


50A25A - Aurora Rodrigues, uma história na PIDE

21 de março. A convite da turma 10.º E, Aurora Rodrigues está no Auditório da ESA para uma conversa com os estudantes. 

No dia da poesia, a convidada relembrou o poema de Martin Niemoller, E não sobrou ninguém, lido pelas alunas organizadoras.

O 10.º E, no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento tem trabalhado em diversas atividades ligadas à Liberdade de expressão, um dos Direitos Humanos escolhido para os seus projetos.
O convite a Aurora Rodrigues, presa pela PIDE em maio de 1973, foi uma das iniciativas da turma. As organizadoras da atividade pesquisaram sobre Aurora Rodrigues e consultaram o seu livro Gente Comum, uma história na PIDE, e redigiram o texto que leram no início do evento: 

«É com grande admiração que hoje temos a honra de receber Aurora Rodrigues, uma sobrevivente da PIDE. Aurora Rodrigues é uma figura notável da resistência à ditadura em Portugal. Nasceu a 20 de janeiro de 1952, enfrentou a opressão da PIDE, envolvendo-se ativamente na luta pelos direitos humanos e pela liberdade política. A sua coragem e firmeza diante da violência e da intimidação do regime ditatorial são exemplos inspiradores de resistência. Aurora desafiou o poder estabelecido, defendendo os valores fundamentais da democracia e da justiça social. Esta atividade está integrada nas comemorações do 25 de abril da nossa escola, e foi elaborada pela turma do 10.º E, agora passamos a palavra para a Aurora Rodrigues.»

Vários alunos e alunas participaram, colocando diversas perguntas à convidada, entre elas: «Como foi a sua vida enquanto presa?», «A que humilhações eram sujeitas as mulheres nas cadeias da PIDE?», «O que a motivou a escrever o seu livro?», «Porque a extrema-direita está a avançar na Europa?»,  «O que sentiu quando aconteceu o 25 de abril?»

50A25A - Orçamento Participativo ESA 2024: Resultados

19 de março. Mil e cinquenta alunos exerceram o seu direito/dever de voto na 7.ª edição do Orçamento Participativo da ESA. A proposta C - Renovação da Polivalente foi aquela que recebeu mais votos. Por isso, está de parabéns. 

Mas, na verdade, todos merecem felicitações. Aqueles que participaram ativamente — apresentando e defendendo as suas propostas, independentemente do resultado obtido, foram um exemplo de exercício de cidadania, pela preocupação e empenho na luta por um bem comum, pela responsabilidade cívica e pelo espírito de camaradagem desenvolvido entre todos — e aqueles que participaram através do voto, manifestando as suas opções em prol da comunidade escolar.

 
Alunos do 9.º A fizeram o escrutínio dos votos, sob a coordenação da professora Filipa Deodato, presidente do Conselho Geral.

50A25A - Votação em curso

18 e 19 de março. Está a decorrer, durante estes dois dias, a votação das propostas apresentadas pelas nossas alunas e pelos nossos alunos ao Orçamento Participativo - ESA 2024. 

Já muitos, dos cerca de 1200 estudantes, votaram para expressar o que consideram ser a proposta que melhor contribui para o bem comum da escola. 

A urna móvel é conduzida por alunos do 9.º ano, com a supervisão da Presidente do Conselho Geral, Professora Filipa Deodato.

50A25A - Orçamento Participativo: dias de votar

50A25A - Orçamento Participativo: exercício de democracia. 7 debates em dois dias

14 e 15 de março. Cerca de 1200 alunos estão a participar nos sete debates que estão a ser realizados durante estes dois dias. sobre o Orçamento Participativo. 
Os autores das três propostas apresentam e explicam as razões que os levam a submeter a escrutínio as suas ideias para a escola. As perguntas, as críticas e as sugestões são muitas, o que tem exigido dos proponentes capacidade de ouvir e capacidade de argumentar. 
Apesar de concorrem entre si, os proponentes têm desenvolvido um salutar clima de colaboração e diálogo, muito diferente de certas práticas competitivas em que se procura vencer por qualquer meio. Um assinalável sentido cívico e ético tem estado presente no comportamento de todos: alunos e alunas.
A moderação dos debates tem estado a cargo do presidente da Associação de Estudantes da ESA.
Alguns desses momentos.



50A25A - Orçamento Participativo: divulgação de propostas

14 de março. No contexto do Orçamento Participativo ESA2024 — Exercício de Democracia, assistimos, no intervalo de dois debates, a uma breve atuação do nosso recém-formado grupo de percussão, cujos elementos são, precisamente, autores de uma das propostas submetidas a debate e a posterior votação.

50A25A - A ZERO está novamente a trabalhar com os nossos alunos

14 de março. A ONG ZERO — Associação Sistema Terrestre Sustentável está mais uma vez na nossa escola, representada por Ivan Barbeira, para uma sessão de aprofundamento de conhecimentos, com a turma 8.º E, sobre alterações climáticas, no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento e dentro da temática das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril. 

Questões relacionadas com a sustentabilidade ambiental, no período anterior e posterior ao 25 de Abril estão a ser abordadas ao longo da sessão, e sobre as quais os alunos manifestam os seus diferentes pontos de vista. 

Fica o registo de um momento das diversas atividades desenvolvidas.

50A25A - Oficina «Crioulo, Língua da Minha Casa, Língua do Meu País»

13 de março. Dia também dedicado à realização da oficina Crioulo, Língua da Minha Casa, Língua do Meu País com o objetivo de ser dado um contributo para a valorização das culturas das minorias.
A atividade conta com a presença da turma 7.º E da Escola Paulo da Gama, a convite dos organizadores, alunos das nossas turmas do 10.º E e 10.º G.
Alguns alunos e alunas destas turmas prepararam em conjunto esta oficina. Assim, tivemos a leitura de textos em crioulo de Cabo Verde e a audição de uma música de Elida Almeida, cantada também em crioulo. Uma aluna do 7.º E leu um excerto do Principezinho, livro traduzido em muitas línguas, entre elas o crioulo.
A língua não é apenas um meio de comunicação, mas também é a expressão da identidade coletiva, transmite valores, conhecimentos e tradições de geração em geração. Quando uma língua é proibida ou ameaçada de extinção, toda uma forma de vida e de compreensão do mundo está em risco. O crioulo era proibido pelo sistema colonial português.
O crioulo é a língua em que muitos estudantes da ESA se expressam em casa e/ou se expressavam no seu país.
Esta oficina teve dois convidados que vieram conversar com os nossos estudantes sobre línguas minoritárias: Ana Lorenzo Garrido (Centro Europe Direct, Área Metropolitana de Lisboa) e Paulo Correia (ex-funcionário da UE que se dedica ao estudo das línguas). Mostraram aos presentes a viagem das palavras entre os continentes e também evidenciaram a importância das "pequenas línguas" e o desaparecimento de muitas.
Por último, pudemos ouvir a leitura de textos, de alunos e alunas de escolas que se situam na fronteira portuguesa onde se falam línguas minoritárias, como o barranquenho.
Esta oficina realizou-se com o apoio do PCE - Projeto Cultural de Escola.

50A25A - O Risco Antes e Depois do 25 de Abril

13 de março. Reunião entre os nossos delegados de turma e uma técnica responsável da Proteção Civil do Seixal. 
Este encontro acontece em resultado do projeto que a turma 2TC/TG está a levar a cabo, em Cidadania e Desenvolvimento, no domínio do Risco, e tem dois objetivos:
— conhecer a importância que se atribuía e como se realizava a prevenção do risco antes do 25 de Abril e como se realiza atualmente;
— iniciar a preparação para uma simulação de sismo que proximamente irá ocorrer na nossa escola.


50A25A - Traumas do passado, feridas no presente: um testemunho

12 de março. Dia em que também ocorre, no nosso auditório, com a participação de várias turmas, a palestra "Traumas do passado, feridas no presente”, organizada, apresentada e dinamizada por alunas do 12º D.

Esta atividade conta com a presença e o testemunho do convidado Alexandre Marta, ex-combatente da Guerra Colonial.

É (mais) um momento marcante das Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril na nossa Escola, com a partilha de um valoroso, esclarecedor e emotivo testemunho de quem viveu a guerra, mas também viveu a libertação da guerra, a libertação do país e a libertação dos povos das ex-colónias.

Várias histórias verídicas vividas na primeira pessoa e narradas por Alexandre Marta, abrangendo o «antes», o «durante» e o «pós» 25 de Abril de 1974, estão a ser partilhadas com os nossos alunos, que a escutam com atenção, retirando delas pertinentes tópicos reflexivos.

Esta atividade ocorre no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, no contexto do Domínio "Defesa, Segurança e Paz".

50A25A - A Ação Climática e o 25 de Abril

12 de março. A Ação Climática e o 25 de Abril é o título do colóquio que está a decorrer no nosso auditório. 

Esta atividade, organizada pelo 12.º TC/TG, no âmbito da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, tem como convidada a ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável. 

Ivan Barbeira, membro desta associação, está a dinamizar o colóquio, no qual participam duas turmas do ensino básico e duas do ensino secundário.

50A25A - O Dia Internacional da Mulher e o 25 de Abril

.
8 de março. Palestras, música, dança, poesia e Jiu-jítsu são algumas das atividades organizadas pelo Clube de Ciência Viva e pela Biblioteca Escolar para assinalar o Dia Internacional da Mulher. 

Data que homenageia a longa e árdua luta das mulheres pela igualdade de direitos. Luta que, no nosso país, foi particularmente difícil antes de ter ocorrido, há 50 anos, a revolução de Abril.

Vários convidados e dezenas de alunos participam empenhadamente nestas atividades, que decorrem no auditório.
O registo de alguns desses momentos:

 


50A25A - As Mulheres na História da Ciência


8 de março. O Clube Ciência Viva e a Biblioteca Escolar inauguram, também no contexto do Dia Internacional da Mulher, a exposição As Mulheres na História da Ciência, na sala polivalente. 

Foram muitas as mulheres que, apesar de fortemente discriminadas, enfrentando, por isso, enormes obstáculos e dificuldades sociais, económicas e culturais, conseguiram realizar trabalhos científicos da maior relevância para o desenvolvimento do conhecimento humano. 

As mulheres portuguesas, em particular, foram objeto de acrescida discriminação durante os 48 anos de fascismo.
Algumas imagens desta exposição.